domingo, março 12, 2017

Malditas Cassandras!








Chamo a atenção para a data desta entrevista: 2011. Portanto, as pessoas podem confrontar o que foi diagnosticado e prognosticado nos fenómenos históricos entretanto decorridos. Mas um trecho é sobremaneira significativo: quando ele refere o carácter praticamente marxista (por incubação neo-trotskeira, acrescento eu) da nova ideologia promotora das guerras: a "democratanóia globalhabunda". Isso, e o vaticínio, por arrasto implícito, de uma "nova-Al Caeda"...
Delírio? Três anos depois, em 2014, o Exército Islâmico fazia a sua proclamação ao mundo.

4 comentários:

Anónimo disse...

Vai a um país como o Iraque, Afeganistão ou a Líbia, destroem as suas infraestruturas de água potável, sistema de irrigação e de tratamento de esgotos, barragens, estradas, centrais eléctricas, hospitais, etc. matam e mutilam milhões pessoas (adultos, velhos e crianças), e o que esperam dos sobreviventes? Contentes e ávidos a abraçar a democracia?

Anónimo disse...

Caro Dragão, caso ainda não conheça, o blog de Michael Scheuer http://non-intervention.com/ vale bem a pena ser lido, tal como os seus livros sobre bin Laden e a Al-Qaeda.

Maria disse...

Dragão: As palavras deste senhor da imagem, devem ser lidas com a "grain of salt" (parafraseando uma amiga minha norte-americana conservadora, quando ouve este género de mensagens). Ainda por cima vindas d'alguém que foi agente da CIA... e não o será ainda? Parece-me haver nas suas denúncias algo de contraditório, mas pode ser só impressão minha. Ainda assim há aqui qualquer coisa que me cheira a esturro.

E, depois, que liberdade poderá ele ter para poder fazer semelhantes denúncias sobre as medidas políticas tomadas pelos seus governantes, quando é por demais sabido que os funcionários desta Agência - antes de assumirem funções e mesmo depois de as deixarem - são obrigados a prestar juramento de total secretismo relativamente às actividades da mesma, consideradas segredos de Estado? Hummm...

O Dragão já reparou bem na fisionomia deste senhor? Mal olhei para ele, mesmo antes de ouvir o que ele tinha para dizer, desconfiei logo da veracidade do que pudesse revelar, por mais bombástico que pudesse ser. É que aquela nunca mente.

Maria disse...

A menos que este ex-agente da CIA tenha tido autorização expressa da própria CIA para revelar estas e outras medidas políticas aparentemente secretas... E aí, sim, já podemos imaginar as motivações de ambos, do ex-agente(?) e da dita Agência. É que esta, desde que foi fundada, esteve (e continua a estar) por detrás de todas as manobras secretas do mais criminoso que há, desde subversões a conspirações, revoluções, etc., em países pacíficos, até a assassinatos de presidentes e de outros políticos no activo e mesmo de empresários com poder e forte influência político-económica, em quase todos os países do mundo.